Porquê a necessidade deste conflito?

 Carta aberta
 
Sr. Ministro da Educação
 
Há escolas do Estado que estão a violar impunemente a lei!
 
Contra a Lei Geral, querem impor aos pais que os filhos assistam à disciplina de Cidadania e Desenvolvimento.

Ora, há pais que não querem. Estão no seu direito. E a Constituição protege-os.
 
O melhor é dizer às escolas que cumpram a Constituição da República.
 
Doutra forma, as escolas (do Estado) podem deixar de ser respeitadas.
 
Não se ponham, nem as escolas nem o Estado, em confronto com os pais.
 
Colaborem com os pais, porque aos pais compete a educação dos filhos.
 
Porquê a necessidade deste conflito?
 
Pela liberdade das famílias, pelos direitos dos pais e pelo bem dos nossos filhos!
 
Brufe VNF, 17 de Dezembro de 2019
 
Artur Mesquita Guimarães
Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

 

 

O que dizem os PAIS?

Canal YouTube do movimento cívico

#DeixemAsCriançasEmPaz

 

https://www.youtube.com/channel/UCoTj2XgWVnaHNd-Gt94VtIA/videos

 

 

Contra o abuso e a prepotência do Estado

Pela revogação do Despacho n.º 7247/2019, já!!!

Contra o abuso e a prepotência do Estado

« O Estado não pode programar a educação e a cultura segundo quaisquer directrizes filosóficas, estéticas, políticas, ideológicas ou religiosas» ( Constituição Portuguesa, Art. 43º, 2.)

Ler mais...
 

blasfemias.net

 E se o Encarregado de Educação não concordar?

Ler mais...
 

Experiências de engenharia social em crianças

 

Experiências de engenharia social em crianças

Pedro Afonso (é médico psiquiatra)

26/08/2019

O governo deverá ter a humildade de reconhecer a insensatez deste tipo de iniciativas legislativas, desistindo de implementar um projeto político de engenharia social em que as cobaias são crianças.

A sociedade deve ser promotora da saúde mental. Porém, quando se criam determinadas condições sociais e ambientais, pode ser facilitadora de doenças psiquiátricas. Este fenómeno, bem conhecido da psicopatologia, chama-se “fenómeno patofacilitante”. Por exemplo, nas culturas em que o consumo de álcool é aceite como desejável e incentivado, isto conduz a um aumento do consumo excessivo e dependência desta substância.

Na estruturação da identidade sexual, para além dos aspetos biológicos, existem influências sociais, culturais e familiares. A educação na escola, juntamente com a influência dos pares, dos meios de comunicação social, das redes sociais, etc. têm um enorme impacto no desenvolvimento da sexualidade humana.

Será que a promoção da ideologia de género pelo Estado, em particular nas escolas públicas, — como aconteceu com a recente medida legislativa (artigo 12.º da Lei n.º 38/2018) — poderá ser um fator perturbador de uma adequada identidade sexual das crianças e adolescentes?

 

Ler mais...
 

Morte aos epicenos e a quem os apoiar!

 Morte aos epicenos e a quem os apoiar!

José Ribeiro e Castro

19/7/2019

Nunca agradeceremos bastante à 13ª Legislatura por jorrar luz nos pedregosos caminhos da gramática nacional, varrendo o obscurantismo das letras e expurgando de formas traiçoeiras a escrita patriótica

Ler mais...
 

Filhos do Estado, não!

 Filhos do Estado,  não!

Joana Bento Rodrigues

2/8/2019

O combate em Portugal está só a começar. Todos estamos convocados.

Os filhos são nossos, não são do Estado.

Ler mais...
 

Newsletter


Videos em destaque