Online gambling

Cartas para os pais recusarem aulas de educação sexual (TVI)

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Cartas para os pais recusarem aulas de educação sexual

Iniciativa da Plataforma Resistência Nacional

Por: Redacção /CP  |  30-06-2009  11: 01

Hormona do amor

A Plataforma Resistência Nacional (PRN) está a distribuir cartas para que, no acto de matrícula dos filhos, os pais não autorizem a frequência das aulas de educação sexual, disse à Lusa fonte do movimento.

«As crianças portuguesas não podem ser cobaias de uma experiência educativa sobre aulas de educação sexual», afirmou Artur Mesquita Guimarães, membro da comissão executiva da PRN.

O documento que começou a ser entregue esta terça-feira na Escola Júlio Brandão, em Famalicão, diz que os pais não autorizam os filhos a participar «em qualquer aula, acção ou aconselhamento relativo a educação sexual».

«A carta que os pais devem entregar na escola que os filhos vão frequentar é juridicamente válida e ninguém deve ter medo de fazer valer os seus direitos de educar os filhos», explicou.

«A educação sexual dos nossos filhos é da nossa competência e é algo que fazemos, como pais, desde o seu nascimento, de um modo natural, integrado, progressivo, completo e respeitando as exigências das suas necessidades concretas, do seu crescimento e da sua dignidade pessoal», pode ler-se na carta.

A distribuição será feita na rua: «Não pedimos autorização a ninguém para entregar as cartas aos pais porque estamos a agir dentro da legalidade.»

Querem apenas «a parte biológica do sexo»

A legislação que prevê a existência da disciplina de educação sexual na escola ainda não foi aprovada. Contudo, a PRN defende que os alunos apenas aprendam «a parte biológica do sexo».

«A escola tem de respeitar a vontade dos pais e, mesmo sem as aulas de educação sexual, deve dar liberdade aos alunos para que assistam ou não a conferências ou palestras sobre esse assunto», referiu.

«Não temos problemas com a educação sexual, apenas pomos em causa a obrigatoriedade de frequentar as aulas e o modelo proposto que não oferece qualquer garantia científica», concluiu.

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade-nacional/educacao-sexual-sexo-aulas-prn-tvi24-pais/1072649-4555.html

 

Newsletter


Videos em destaque